Déficit em produtos químicos deverá ser recorde.

Déficit em produtos químicos deverá ser recorde, de US$ 45 bilhões, em 2021, com volume inédito de mais de 60 milhões de toneladas importadas.

No acumulado do ano, até outubro, as importações de produtos químicos somaram US$ 48,5 bilhões e as exportações chegaram a US$ 11,5 bilhões, aumentos de respectivamente 43,4% e de 27% na comparação com igual período de 2020. Como resultado, o déficit na balança comercial de produtos químicos, entre janeiro e outubro, somou US$ 37 bilhões, o que representa um expressivo e alarmante aumento de 49,4% em relação ao mesmo período do ano passado e, mesmo ainda faltando dois meses para o encerramento de 2021, já supera em US$ 5 bilhões o maior déficit anual da história da balança comercial de produtos químicos, de US$ 32 bilhões, em 2013.

 

Em todos os grupos de produtos acompanhados foram registrados fortes aumentos de quantidades importadas, em especial de resinas e elastômeros (32,7%) e de inorgânicos (19,1%) e orgânicos diversos (12,5%), totalizando 49,7 milhões de toneladas, até outubro, adquiridas a preços médios gerais 20,3% superiores àqueles de igual período de 2020. As exportações, por sua vez, em números absolutos muito menores, tiveram, até outubro, aumento 8,7% (de 12,1 milhões para 13,2 milhões de toneladas) nas quantidades totais expedidas aos parceiros comerciais brasileiros.

Fonte site da ABIQUIM

Leia mais em https://abiquim.org.br/comunicacao/noticia/9899



Deixe uma resposta